Menu

Pelo quarto ano seguido, Paulinho Guará comanda o Democrata no Campeonato Mineiro do Módulo II / Coluna / Álvaro Vilaça / Tempo Esportivo

Já se passaram 06 rodadas da primeira fase do Campeonato Mineiro do Módulo II. Restam, portanto, apenas 05 para o encerramento da fase classificatória. Ao final das 11 rodadas, os 04 primeiros colocados seguirão para o quadrangular final e os dois últimos serão rebaixados para a Série C de Minas Gerais.

O Democrata segue sem conseguir uma sequência de vitórias na competição e a derrota para o Ipatinga, no Vale do Aço, colocou a equipe em situação perigosa na tabela de classificação, uma vez que o Jacaré se mantém em 10º lugar, com apenas 05 pontos, mesma pontuação do próprio Ipatinga, que figura na zona de rebaixamento. O Aymorés de Ubá é o lanterna, com 03 pontos e segue como única equipe a não ter vencido na atual edição do Módulo II.

O único gol da partida realizada no Ipatingão foi marcado por Thiago Moraes, aos 20 minutos do primeiro tempo, aproveitando um erro de marcação do sistema defensivo do Democrata.

Foto: Reprodução/InternetFoto: Reprodução/Internet

Contudo, o placar não ilustra o que foi o jogo. O Jacaré foi muito superior ao Tigre, porém aconteceram inúmeras falhas na hora das finalizações. O goleiro Elisson fez grandes defesas e até uma bola na trave impediu que o Democrata empatasse e virasse a partida.

Paulinho Guará utilizou os seguintes atletas no Vale do Aço: Gabriel, Pedroso (João Pedro), Diogo, Carciano e Magal (Isac); Rafinha (Neto), Cleiton, Kekeu e Diego Palhinha; Heitor Rocha e Rafael.

Após 06 jogos, o Democrata soma uma vitória, dois empates e três derrotas e precisa, desesperadamente, de um triunfo em casa, diante do líder, Nacional de Muriaé, para não correr risco de entrar na zona de rebaixamento ao final da próxima rodada.

Os resultados da sexta rodada foram esses:

Ipatinga 01 x 00 Democrata-SL
Aymorés 00 x 02 Guarani
Betim 01 x 01 Democrata-GV
União Luziense 02 x 00 Tupi
Nacional 01 x01 Villa Nova
Serranense 00x 03 Tupynambás

Após seis rodadas a classificação do Campeonato Mineiro do Módulo II ficou assim:

Posição Equipe PG J V E D GP GC SG %
1º Nacional de Muriaé 12 6 3 3 0 9 2 7 67
2º Tupynambás 11 6 3 2 1 6 2 4 61
3º Villa Nova 11 6 3 2 1 6 4 2 61
4º Guarani 10 6 3 1 2 6 6 0 56
5º Betim 09 6 2 3 1 8 6 2 50
6º Democrata-GV 09 6 2 3 1 4 3 1 50
7º União Luziense 07 6 2 1 3 5 5 0 39
8º Tupi 07 6 2 1 3 8 9 -1 39
9º Serranense 07 6 2 1 3 6 8 -2 39
10º Democrata-SL 05 6 1 2 3 3 6 -3 28
11º Ipatinga 05 6 1 2 3 2 6 -4 28
12º Aymorés de Ubá 03 6 0 3 3 1 7 -6 17
PG: Pontos Ganhos | J: Jogos | V: Vitórias | E: Empates | D: Derrotas | GP: Gols Pró | GC: Gols Sofridos | SG: Saldo de Gols | %: Aproveitamento

Os jogos da sétima rodada estão agendados para sexta-feira e sábado:

Sexta-feira:
15:00 – Tupynambás x União Luziense – Juiz de Fora
Sábado:
15:00 – Democrata x Nacional de Muriaé – Sete Lagoas
15:00 – Democrata-GV x Serranense – Governador Valadares
15:00 – Tupi x Betim – Juiz de Fora
15:00 – Guarani x Ipatinga – Divinópolis
16:00 – Villa Nova x Aymorés – Nova Lima

Ao final da primeira fase, os quatro melhores colocados se classificam para o Quadrangular Final, que será disputado no sistema de todos contra todos, em turno e returno, entre os dias 4 de setembro e 2 de outubro. Os dois melhores colocados sobem para a elite em 2022.

A Rádio Eldorado de Sete Lagoas está fazendo a transmissão de todas as partidas do Democrata no Campeonato Mineiro do Módulo II. A emissora pode ser sintonizada através do canal 1.300 AM. Pelo facebook ou ainda pelo aplicativo da emissora, que pode ser baixado no site www.eldorado.1300.com.br.

2º Tempo

Sem levar em consideração o jogo deste meio de semana contra o Bahia, pela Copa do Brasil, o Atlético chegou a 76% de aproveitamento na temporada 2021. São apenas cinco derrotas em 40 confrontos. Sendo que, nas últimas 30 apresentações, o Galo de Cuca perdeu apenas três vezes.

No Brasileirão, cujo Galo é dono do "título" de melhor mandante de 2021, o time perdeu apenas para o Fortaleza no Mineirão, na primeira rodada. Houve, nos últimos 30 jogos, as derrotas para Ceará e Santos, fora de casa, na Série A. São 16 pontos somados em casa pelo Brasileiro.

Após um mês de julho invicto - 7 vitórias e 2 empates - o Galo iniciou agosto embalado, com Brasileiro, volta da Copa do Brasil e os duelos diante do River Plate, nas quartas-de-final da Copa Libertadores (dias 11 e 18) à vista.

No final de semana, o time mostrou que pode jogar sem Hulk. A Defesa tem sido o ponto alto do Atlético e as perspectivas para a sequência da temporada são boas.

Pelo Brasileiro, inclusive, com o triunfo por 2 a 0 sobre o Athletico-PR, o Atlético igualou o próprio recorde de sete vitórias seguidas nos pontos corridos da competição. O Galo conseguiu a marca pela primeira vez na Série A de 2012, quando Cuca também era o treinador alvinegro.

Antes de superar o Furacão, o Atlético bateu Atlético-GO, Cuiabá, Flamengo, América, Corinthians e Bahia. O sétimo triunfo seguido deixou o Galo na vice-liderança do Brasileiro, com 31 pontos, um a menos que o Palmeiras.

Já em 2012, o time de Cuca, que contava com Ronaldinho Gaúcho, Jô, Diego Tardelli e Bernard, superou Náutico, Grêmio, Portuguesa, Figueirense, Internacional, Sport e Santos. Na 14ª rodada, o Flamengo pôs fim à série positiva do Galo. Os mineiros terminaram com o vice-campeonato naquele ano, cinco pontos atrás do campeão Fluminense.

Cruzeiro

Números que assustam! Nos últimos dois anos, o Cruzeiro teve 11 treinadores, entre interinos e efetivos, à frente do time profissional. E a lista vai aumentar agora, após o pedido de demissão de Mozart, depois do melancólico empate diante do Londrina, no Mineirão, semana passada. O treinador não resistiu à péssima campanha. Foram apenas duas vitórias (Ponte e Vasco), sete empates (Brasil-RS, Guarani, Botafogo, Goiás, Coritiba, Vila Nova e Londrina) e quatro derrotas (Avaí, Remo, CSA e Operário). O aproveitamento atingiu 33,3% na trajetória, deixando o Cruzeiro em situação delicada na Série B e dentro da zona de rebaixamento para a Série C.

A rotatividade de treinadores começou em agosto de 2019, após a saída de Mano Menezes, que vinha de trabalho longevo, mas marcou o começo da péssima campanha da equipe, que culminou com o rebaixamento no Brasileirão.

O interino Ricardo Resende comandou o Cruzeiro em um jogo, até a chegada de Rogério Ceni, que ficou apenas oito partidas. Abel Braga resistiu por outros poucos 14 jogos. Adilson Batista ficou mais tempo, quatro meses, considerando a virada de ano.

O clube buscou Enderson Moreira, que dirigiu a equipe por seis meses, o maior tempo desde a saída de Mano. Lembrando que houve um período sem jogos, em função da pandemia da Covid-19. Ney Franco resistiu sete partidas. Célio Lúcio ficou como interino por um jogo, contra o Juventude.

A aposta no experiente Luiz Felipe Scolari durou cinco meses, com 31 partidas. Célio Lúcio, de novo, fez mais um jogo, até a chegada de Felipe Conceição, que permaneceu por 19 partidas. Foi substituído por Mozart, que caiu após 13 jogos. Agora, o Cruzeiro vai para a 12ª tentativa em dois anos.

Nenhum projeto esportivo resiste a tantas mudanças de direção em tão pouco tempo. Os problemas extracampo e a falta de convicção da diretoria no trabalho de todos os treinadores, neste período, foram os principais motivos de tanta rotatividade. Que venham novos tempos, agora com um trabalho, que se espera, seja mais longevo!

 





Publicidade

Links patrocinados