Menu

Um mês depois de confirmada em MG, ômicron é a variante mais encontrada no estado

Um mês depois de sua primeira confirmação no estado, a variante ômicron do novo coronavírus já foi encontrada em todas as amostras genotipadas pela Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), de acordo com o último balanço divulgado pela pasta.

Foto: Getty Images/Via BBCFoto: Getty Images/Via BBC

A técnica, que permite identificar a variante responsável pela infecção, é feita a partir de materiais de pessoas contaminadas.

A variante foi identificada – pela primeira vez – nas análises em 10 de dezembro. Naquele dia, três amostras eram da cidade de Francisco Sá, no Norte de Minas, e duas de pessoas que chegaram de Cabo Verde, na África. A confirmação dos primeiros casos pela SES-MG aconteceu sete dias depois, em 17 de dezembro.

A partir das primeiras identificações, a ômicron foi a variante mais encontrada nas amostras desde então, ao longo do último mês. Nos dias 11, 14, 15, 16, 19, 21, 24, 27, 28, 29 e 30 de dezembro e 3, 4 e 6 de janeiro, ela estava presente em todos os materiais genotipados nos laboratórios de referência.

Foto: SES/DivulgaçãoFoto: SES/Divulgação

Nos dias 13, 17, 18, 20, 22 e 23 de dezembro, a variante delta também foi identificada, mas sempre em menor proporção em relação à ômicron.

Em 12, 25 e 31 de dezembro, a SES-MG não fez ou não divulgou o resultado dos exames. O mesmo aconteceu nos dias 1º, 2, 5 e de 7 de janeiro até agora.

Em nota, a Secretaria de Estado de Saúde informou que "não houve mudança de estratégia a partir da chegada da Ômicron no estado" e que ampliou a distribuição de testes rápidos.

Com a chegada da variante, a pasta observou um aumento da "positividade dos teste realizados" o que sugere um aumento da circulação viral. A SES-MG informou que entre os dias 02 e 08 de janeiro, o aumento de confirmações por meio de testes RT-PCR no estado foi de 9%. Entre os dias 09 e dez de janeiro, essa taxa aumentou para 18%

A orientação é continuar adotando todas as medidas: máscara, lavagem das mãos com frequência e evitar aglomeração. Além de completar o esquema vacinal e a dose de reforço.

Sobre os dados não preenchidos no gráfico do painel epidemiológico, a Secretaria não respondeu. Informou apenas que eles "são dinâmicos e podem ser atualizados a qualquer momento".

Até quinta-feira (13), Minas Gerais tinha registrado 226 casos de ômicron.

Com Portal g1



Publicidade

Links patrocinados MGID