Menu

Trem de Passageiros da Estrada de Ferro Vitória a Minas retoma circulação parcial

Após sete dias, o Trem de Passageiros da Estrada de Ferro Vitória a Minas voltou a circular, de forma parcial, nesta segunda-feira (17). O percurso permanece com restrição, nos dois sentidos, no trecho entre a Estação de Dois Irmãos, em Barão de Cocais e a Estação Central de Belo Horizonte.

Foto: Reprodução/ TV GazetaFoto: Reprodução/ TV Gazeta

A venda de passagens para esse trecho foi suspensa. Segundo a mineradora, a medida visa garantir a segurança de passageiros e trabalhadores por causa das chuvas.

Os usuários têm opção de remarcar ou cancelar as passagens sem multa em até 30 dias. Mais informações sobre a suspensão podem ser obtidas por meio do telefone 08002857000.

Operações retomadas

A Vale informou, nesta segunda-feira (17), que retomou parcial e gradualmente, as operações em Minas Gerais que estavam interrompidas desde o dia 10 de janeiro por causa das fortes chuvas que atingiram o estado.

No Sistema Sudeste, a circulação de trens na Estrada de Ferro Vitória a Minas foi retomada no trecho Rio Piracicaba - João Monlevade, permitindo, portanto, a expedição gradual da produção de Brucutu e Mariana, não havendo mais produção da Vale paralisada nesse Sistema em decorrência das chuvas. O ramal de BH, responsável pelo transporte de carga geral, encontra-se paralisado, sendo estudadas alternativas logísticas para o retorno definitivo do ramal e para o escoamento da carga geral enquanto o ramal permanecer paralisado.

No Sistema Sul, foram liberados alguns acessos rodoviários e viabilizados outros alternativos, permitindo a circulação de empregados/terceiros às minas do Sistema, e consequentemente, os trabalhos de adequação da infraestrutura das frentes de lavra das minas. Vários trechos da MRS Logística tiveram circulação de trens liberada e com previsão de liberação de novos trechos ao longo da semana. Desta forma, foram retomadas, nos últimos dias e de forma gradual, as usinas de Abóboras, Vargem Grande, Fábrica e Viga, que representam cerca de metade da capacidade atual do Sistema Sul. As demais usinas deverão ser retomadas nos próximos dias, após trabalhos adicionais de reestabelecimento das condições operacionais adequadas e normalização das circulações de trens.

Segurança de barragens

A Vale permanece com a gestão e o monitoramento contínuo de barragens e estruturas geotécnicas, realizados por meio dos Centros de Monitoramento Geotécnicos, pelas equipes especializadas da Vale e pelos Engenheiros de Registro. A companhia informa alteração nas condições de segurança de duas estruturas, associadas às fortes chuvas.

Barragem Área IX: elevação do protocolo de emergência de nível 1 para nível 2, após alterações piezométricas na ombreira direita da estrutura. A estrutura está desativada e é contemplada no Programa de Descaracterização de Barragens a Montante da Vale.

Dique Elefante: início do protocolo de emergência em nível 1, após erosão na ombreira direita da estrutura, sem o comprometimento de sua estabilidade global. O dique de contenção de sedimentos está em descaracterização.

A Vale já iniciou estudos e ações corretivas em ambos os casos. Não há a ocupação permanente de pessoas nas Zonas de Autossalvamento (ZAS) correspondentes e não se faz necessária evacuação adicional.

Com Portal g1



Publicidade

Links patrocinados MGID