Menu

Filha de promotor suspeito de matar esposa em BH acredita na inocência do pai

O procurador-geral de Justiça de Minas Gerais, Jarbas Soares, deve se pronunciar na tarde desta sexta-feira (9) sobre as investigações da morte de Lorenza de Pinho, de 41 anos, esposa do promotor André de Pinho, de 51. Pinho está preso, suspeito de participação no ocorrido.

 Foto: Reprodução Redes SociaisFoto: Reprodução Redes Sociais

A Itatiaia conversou com os filhos maiores do casal, com o consentimento dos tutores. Os dois, um rapaz de 16 anos e uma moça de 15, confiam na inocência do pai e afirmam que a mãe vivia um processo de depressão, com uso de muitos remédios.

A garota contou que dormia quando tudo aconteceu. “Mas o meu pai chegou a me acordar porque o nosso irmão caçula estava com eles no quarto, dormindo. Meu pai levou ele para o meu quarto falando ‘sua mãe tá passando mal’, vou tentar socorrer ela, fica com ele para mim por favor’. Ele estava bem aflito, muito preocupado, e depois de um tempo eu ouvi barulho de sirene de ambulância."

Depois da movimentação intensa na casa, de pessoas entrando e saindo, a garota disse que viu o pai chorando muito na porta do quarto, falando que Lorenza não tinha resistido. “Meu pai ficou sem chão, eu fiquei sem chão, nossa vida mudou."

Relembre o caso

Loreza morreu na sexta-feira passada, no apartamento onde morava, no bairro Buritis, região Oeste de Belo Horizonte. As circunstâncias da morte ainda estão em investigação. Exames periciais devem ficar prontos em até 30 dias.

O marido de Lorenza foi preso dois dias após a morte, suspeito de feminicídio. Ele alega ser inocente e afirma que a esposa faleceu após engasgar enquanto dormia.

Lorenza deixou cinco filhos, de 2, 7, 10, 15 e 16 anos. Em audiência na Vara da Infância e Juventude, a Justiça decidiu, provisoriamente, que a guarda ficaria com amigos próximos ao casal.

Com Itatiaia

 





Publicidade

Links patrocinados