Menu

Câmara muda lei para premiar servidores que atuam na regularização fundiária em Sete Lagoas

A Câmara de Sete Lagoas realizou duas reuniões (uma ordinária e outra extraordinária) para aprovação de projetos, dentre eles um que beneficia diretamente servidores municipais. Confira agora a atividade do legislativo local.

Foto: Câmara Municipal de Sete Lagoas / divulgaçãoFoto: Câmara Municipal de Sete Lagoas / divulgação

Foi aprovado em dois turnos pela Câmara de Sete Lagoas nesta terça-feira (24) um projeto de lei que premia servidores municipais que atuarem na regularização fundiária no município. A proposta modificou o artigo 63 da lei orgânica municipal.

Veja os comunicados dos edis:

Ivan Luiz (Patri): Secretaria de Educação Esportes e Cultura, nota de esclarecimento. Está circulando nas redes sociais documento chamado ofício que na verdade é uma pauta sobre a distribuição de produto alimentício para composição da merenda nas unidades de ensino. As informações contidas estão sendo usadas de forma equivocada e está trazendo transtorno para a administração pública. Esclarecemos que a secretaria junto com o conselho não tem conhecimento sobre o documento e não concordamos com os termos.

José de Deus (REP): Na última sexta recebi no gabinete o deputado estadual Charles Santos que segue atuando no município e já direcionou diversas emendas para a saúde e educação. Tenho certeza que não irá parar por aí. Foi possível caminhar com o deputado por outros locais de suma importância. Visitamos a pista de aeromodelismo e conversamos com os participantes. Visitamos também a horta comunitária no Nova Cidade e Vila Vicentina, entre outros locais.

Roney do Aproximar (União Brasil): Cobrar do Executivo da cidade, na pessoa do prefeito Duílio de Castro, sobre a iluminação pública. Tenho muitas reclamações sobre pedidos de troca de lâmpadas na região do Alvorada e acredito que em toda a cidade. Muitas ruas estão ficando no escuro e correndo risco de meliantes assaltarem pessoas por falta de iluminação. Gostaria que o Executivo desse uma atenção para a iluminação pública porque está devendo.

Sílvia Regina (PSC): Abraçar o pessoal da Copa João da Cunha. Meu sonho era montar um time da região do bairro Emília. Agora montamos o Sô Nô Futebol Clube em homenagem ao meu pai. Deixar o convite porque vamos jogar no domingo, às 9h. Há quem diga que futebol é só para homem, mas não é não. A gente torce e vibra muito.

Heloísa Frois (Cidadania): A administração pública tem como principal função trabalhar para a população. E ontem registrei a situação triste das pessoas que precisam do laboratório Pedro Lanza. As pessoas ficam perfiladas para receberem a senha e depois entrarem no laboratório. As pessoas que estão ali estão em jejum, às vezes, não sabem se vão conseguir a senha. Se a gente estivesse naquelas condições estaríamos confortáveis? Com certeza, não. Solicitei uma tenda para se abrigarem ali e peço a secretaria de Saúde para acompanhar a situação.

Ismael Soares (PSD): Com muita honra representei a Câmara onde foi abordado o Programa Marianas. Não conhecia, mas o pouco que consegui aprender foi de grande importância para a gente que lida na vida de pública e sobre a importância dos órgãos envolvidos. São mães que têm seus filhos e querem levar para adoção. Foi de grande valia. É uma abordagem que passa por todos os conselhos. Hoje são cerca de 4 mil crianças para adoção e mais de 40 mil famílias para adoção.

Janderson Avelar (MDB): Convocar a todos da cidade para a Copa de Futsal feminino que acontece no ginásio coberto. Começou dia 22 os jogos acontecem no fim de semana. Grandes eventos esportivos estão acontecendo na cidade. O secretário (Fabrício Fonseca) é incansável por apoiar o esporte. Informar para a população que estou correndo atrás para evitar o fechamento da escolinha da Cemig. Estive com o deputado Tadeuzinho e o deputado federal Newton Cardoso para nos representar junto ao governo para buscarmos soluções.

Junior Sousa (MDB): Falar sobre a campanha do agasalho e agradecer a todas as empresas que se colocaram à disposição para participar. Todos que puderam doar também. Com relação aos dados a gente já conseguiu mais de 140 cobertores e centenas de roupas para aquecer várias pessoas que precisam neste inverno. Vamos iniciar a distribuição e vamos atender três locais nessa primeira fase. No Hospital Municipal, UPA e Toca de Assis.

Ivson Gomes (Cidadania): Recebemos resposta do meu Requerimento que fizemos ao Executivo sobre o motivo de não pagamento dos acertos dos ex-funcionários do vídeo monitoramento. A secretaria de Fazenda assumiu a dívida e disse que assim que tiver disponibilidade vai fazer o acerto. O mais interessante é que o prefeito faz propaganda dizendo que os salários estão em dia e os pagamentos estão em dia, mas não pagam os acertos. É o sujo falando do mal lavado.

Rodrigo Braga (PV): Sobre o documento divulgado na internet sobre os professores comerem o que sobrar dos alunos não é verdade. Quem é professor sabe que não é verdade. A alimentação acontece ao mesmo tempo. Os alunos estão no intervalo recebendo o lanche e os professores, ao mesmo tempo, recebem o alimento. É um comentário de alguém que não conhece o chão de sala de aula, não sabe a verdade.

Carol Canabrava (Avante): Sobre o informativo que está circulando quero falar, como mãe, que o documento é verdade, a gente já viu, mas espero que a ação não seja. É duro a gente ver as crianças menores com direito a meio pão de sal. As crianças menores são as que gastam mais energia. Espero do fundo do meu coração que não aconteça e os professores merecem o nosso respeito. Que o conselho peça explicação sobre o fundamento desse documento que é muito grave. Não pode ficar circulando sem fundamento.

Caio Valace (Podemos): Estou preocupado como que o governador Romeu Zema vai vir a Sete Lagoas pedir voto. Quando a gente lança o nosso olhar para o desenvolvimento econômico, a gente analisa dois pontos estratégicos em termo de mobilidade. Temos a MG 424 que está na gaveta da licitação. Temos a estrada que liga Sete Lagoas a Araçai. Estas duas estradas são importantes para o nosso desenvolvimento. Não cuidou da situação estratégica da cidade. Temos o Hospital Regional que o governador não colocou um tijolo. Agra vem o governador falar em fechar a escolinha da Cemig, referência internacional.

Pr. Alcides (PP): Impossível que vejamos isso acontecer (fechamento escola da Cemig) e ficamos inertes. Tive um Requerimento prejudicado nesse sentido, mas estamos juntos para mover gestão para não fechar a escolinha da Cemig. Tenho certeza que nenhum vereador comunga com essa ideia de tirar esse patrimônio que é a escola da Cemig na formação de mão de obra. Não podemos abrir mão e temos que fazer todo o possível para que mantenhamos nossa escola na cidade.

Da redação com Câmara de Sete Lagoas



Publicidade

Links patrocinados MGID