Menu

Campeonato Mineiro tem início previsto para 28 de fevereiro / Coluna / Álvaro Vilaça / Tempo Esportivo

1º Tempo

Foto: DivulgaçãoFoto: Divulgação

As chances de acesso do Cruzeiro para a divisão de elite do futebol brasileiro foram muito reduzidas nas últimas rodadas, após a derrota para a Ponte Preta e o empate diante do Cuiabá. Com 0,35% de chance de subir para a Série A e 0,92% de cair para a Série C (de acordo com o Departamento de Matemática da UFMG), o Cruzeiro já começa a planejar sua temporada de 2021, mesmo que abertamente o discurso de Felipão ainda seja de fazer três ou quatro pontos para se manter na Segunda Divisão.

O treinador tem sido perguntado, frequentemente, sobre as expectativas para ano do centenário cruzeirense, comemorado no último final de semana. Felipão disse que o objetivo é fazer os 44 pontos na Série B e buscar, neste resto de temporada, os pontos que precisam ser melhorados para 2021.

Ele já avisou, no entanto, que não pode ter tanto jogador do sub-20 subindo ao profissional, como em janeiro passado, quando 11 jogadores que disputaram a Copa São Paulo foram integrar o elenco, então treinado por Adilson Batista, que acabou sendo demitido pouco tempo depois

O treinador ainda ressaltou que não adianta achar que o Cruzeiro, em 2021, conquistará seus objetivos somente por ter uma camisa vitoriosa em quase cem anos de história.

"Se os torcedores cruzeirenses acham que o planejamento que foi feito, com muitos jovens, que a camisa ia ganhar... não vai ganhar".

Apesar de citar a necessidade de fazer diferente do que foi feito em 2020, Felipão evitou apontar o dedo para pessoas que passaram no clube antes da contratação dele, efetivada em outubro.

Foi sob o comando do conselho gestor que o Cruzeiro montou a base do elenco que disputou a Série B. Foi também com a gestão transitória que o clube perdeu seis pontos na Série B, ao não pagar uma dívida em processo que tramitava na Fifa.

Que a história a ser escrita neste 2021, que acabou de começar, seja diferente, com um desfecho positivo e com dias melhores para o torcedor celeste, ele merece!

2º Tempo

Pelas projeções atuais, dificilmente o Atlético será Campeão Brasileiro de 2020, a temporada não acabou, embora já estejamos em 2021, mas o clube fechou um ano proveitoso no quesito "mandante". Além de ser o time que mais pontos somou em casa no Brasileirão (33, com aproveitamento inferior apenas ao São Paulo), o Galo de Sampaoli fechou 2020 com apenas uma derrota. No total, o ano do clube mineiro foi de 78,7% em aproveitamento como mandante. O melhor número desde 2012-2013.

Para tanto, o Atlético mudou de casa. Passou a ser mandante no Mineirão e, mesmo sem a presença da torcida nos jogos pós-pandemia, emplacou boa sequência de vitórias. Foram dois tropeços no total - para Caldense (Rafael Dudamel) e Athletico-PR (Sampaoli). Em 22 jogos, venceu 16 vezes e obteve quatro empates. Na década, apenas em 2012 (85,18%) e 2013 (83,8%) o Galo foi mais dominante no seu terreiro.

O Atlético seguirá a atual temporada em janeiro e fevereiro. Volta a campo no dia 11, pela 28ª rodada do Campeonato Brasileiro. Mas visitará o RB Bragantino em São Paulo. Depois, receberá na outra semana o Atlético-GO. Ainda terá Santos, Bahia, Fortaleza e Palmeiras no Mineirão até o encerramento do campeonato.

O Mineirão, mesmo de portões fechados, seguiu como o palco escolhido pela diretoria do Atlético por questão de conforto e segurança sanitária contra a Covid-19. O Independência, entretanto, voltará a ser alternativa para jogos menores, principalmente no Campeonato Mineiro. Os dois estádios estão cotados na administração de Sérgio Coelho, presidente eleito do clube que tomou posse no início desta semana e promete agitar os bastidores do clube. Por sinal, o primeiro ato do novo presidente alvinegro foi demitir o diretor de futebol Alexandre Matos, que trabalhou no clube durante 09 meses. Outras decisões importantes serão anunciadas nos próximos dias.

Ainda sobre o Mineirão, o estádio será a opção número 1 do clube até a inauguração da Arena MRV, prevista para outubro de 2022. O histórico de novos estádios mostra uma hegemonia forte de resultados do time da casa. Foi assim com Palmeiras (Allianz Parque), Corinthians (Neo Química Arena) e Grêmio (Arena do Grêmio). Aguardemos a data histórica para a inauguração da Arena do Galo!

Campeonato Mineiro tem início previsto para 28 de fevereiro

Em reunião virtual, realizada em dezembro, a Federação Mineira de Futebol divulgou a tabela do Campeonato Mineiro de 2021. Com 12 times participantes e 15 datas reservadas para a competição, o primeiro jogo ocorrerá no dia 28 de fevereiro e o término será em 23 de maio.

A primeira rodada do Campeonato Mineiro, prevista para o dia 28, terá os seguintes confrontos:

Uberlândia x Cruzeiro
Caldense x Tombense
Pouso Alegre x Coimbra
Atlético-MG x URT
América-MG x Boa Esporte
Patrocinense x Athletic

O primeiro clássico da edição de 2021 do Campeonato Mineiro será na 5ª rodada, com América x Cruzeiro. Na 7ª rodada será a vez de o Atlético enfrentar o Coelho. Já na 9ª rodada, Galo e Cruzeiro vão se encontrar na tabela, em jogo marcado para 4 de abril (com mando da Raposa).

Para esta edição duas equipes que disputaram o Módulo II em 2020 estão confirmadas: Athletic e Pouso Alegre são as caras novas entre os 12 participantes da edição de 2021. A equipe de São João Del Rei está de volta à elite do Estadual após 50 anos. Já o "Pousão" não participava do Módulo I do Mineiro há 28 anos.

A fórmula do Mineiro de 2021 será a mesma do torneio realizado em 2020, sem a disputa de quartas de final. Dessa forma, os 12 times participantes da competição se enfrentarão em turno único, avançando os quatro primeiros colocados diretamente para as semifinais e, posteriormente, para grande final do estadual (em jogos de ida e volta). Competições paralelas criadas no ano passado também são mantidas, como o Troféu Inconfidência e Recopa Mineira.

As piores contratações dos times brasileiros em 2020

O ano de 2020 foi marcado por muitas mudanças no mundo, de uma forma geral, e no futebol também houve alterações significativas em função dos reflexos da pandemia da covid-19. Com menos dinheiro disponível e uma perspectiva de grandes dificuldades ao longo da temporada, os clubes precisaram ser cirúrgicos nas contratações.

Acontece que nem sempre as novas chegadas estão à altura da expectativa. Pior ainda é quando fica bastante abaixo do esperado. Acontece todo ano, com diferentes clubes, e em 2020 não foi diferente. Confira, abaixo, quais foram, levando em conta a relação expectativa-realidade, as piores contratações feitas pelos clubes da Primeira Divisão do futebol brasileiro.

a) Jogador com história vestindo a camisa do Chelsea, onde foi campeão da Champions League em 2012, Salomon Kalou despertou grande expectativa em sua chegada ao Botafogo. Ele disputou 22 jogos e marcou apenas um gol. Kalou é uma das tantas decepções botafoguenses no ano de 2020.

O japonês Keisuke Honda chegou com muita festa ao Brasil, sendo recepcionado por uma multidão de botafoguenses em um aeroporto pré-pandemia. Fez apenas três gols em 27 jogos, considerando todas as competições. Destaque negativo por não ter nenhuma assistência a gol.

Não houve expectativa positiva quando o Grêmio anunciou, ainda no início da temporada passada, a chegada de Thiago Neves. O histórico de provocações direcionadas ao Tricolor Gaúcho, além da imagem deixada em meio ao rebaixamento do Cruzeiro em 2019, deixaram a torcida gremista revoltada com a aposta no meia. Após 14 jogos e apenas um gol, o meia de 35 anos deixou o clube gaúcho e atualmente defende a camisa do Sport Recife, onde não é titular absoluto.

A grande contratação feita pelo Corinthians em 2020 foi Luan, ídolo do Grêmio e referência dos gaúchos na conquista da Libertadores em 2017. Ainda que Luan já viesse dando grandes mostras de queda de rendimento com a camisa gremista, havia a esperança de que estar em um novo lugar pudesse representar uma nova guinada em sua carreira. Não foi o que aconteceu: com um futebol muito irregular, o camisa 7 é uma das decepções do ano passado.

Outro corintiano que não agradou em 2020 foi o lateral-esquerdo Sidcley, que chegou emprestado pelo Dínamo de Kiev e sequer conseguiu se firmar no time titular. Fábio Santos, ex Atlético, é o dono da posição no time paulista.

Eleito revelação do Campeonato Brasileiro de 2019 pelo Goiás, Michael custou 7,5 milhões de euros ao Flamengo. No Brasileirão de 2020, tem apenas uma assistência em seu nome e foi perdendo gradativamente o pouco espaço que tinha.

Outro ponta que prometia ser opção no ataque do Flamengo, Pedro Rocha chegou à Gávea emprestado pelo Spartak de Moscou e foi muito pouco utilizado. Entre lesões e ausência por opção técnica, disputou apenas 11 jogos, fez um gol e deu uma assistência.

Revelado pelo Vasco, o atacante Marrony ganhou destaque vestindo a camisa cruz-maltina e foi contratado pelo Atlético por R$ 18 milhões. O alto investimento até deu resposta de forma rápida, mas o jovem não conseguiu manter a regularidade e hoje é opção no banco de reservas do Galo. Se conseguir repetir as atuações que teve nos cinco gols e duas assistências que somou até aqui, contudo, Marrony ainda pode silenciar os críticos.

O zagueiro chegou emprestado pelo Kashima Antlers, do Japão, e com a moral de ter arrancado elogios de Zico. Com a camisa do Galo, entretanto, não conseguiu encontrar seu espaço.

O histórico polêmico de Sassá não é uma novidade. Mas em setembro do ano passado, ao ter comparecido em uma festa mesmo sob o contexto da pandemia e após derrota no clássico contra o Athletico-PR, o atacante foi dispensado pelo Coritiba. Em 18 jogos, marcou quatro gols pelo Coxa. Voltou ao Cruzeiro e seguiu o mesmo ritmo de atuações medíocres na Série B do Campeonato Brasileiro.

O Bahia não gastou dinheiro com taxa de transferência para contratar Elias, que estava sem clube. A chegada ao Tricolor da Boa Terra levantou expectativas também pelo reencontro do meio-campista com o técnico Mano Menezes, com quem viveu bons momentos anos antes no Corinthians. Mano já deixou o comando do time e Elias deverá ser o próximo, uma vez que o técnico Dado Cavalcanti não pretende mais usá-lo.

São Paulo está cada vez mais próximo do hepta

O São Paulo tem neste momento três vezes mais chances de ser campeão brasileiro que todos os seus principais concorrentes juntos. Se confirmar o favoritismo, será o sétimo título nacional da história do Tricolor. É isso o que mostram os números do site Probabilidades no Futebol, mantido pelo Departamento de Matemática da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Após a vitória por 2 a 1 sobre o Fluminense, no último sábado (26), no Maracanã, as chances de título do tricolor paulista chegaram a 75,5%. O concorrente mais próximo segue sendo o Flamengo (12,4%), apesar de ele ter perdido a vice-liderança para o Atlético (7,8%) nesta 27ª rodada.

Isso se explica pelo fato de o rubro-negro carioca, que soma os mesmos 49 pontos do Galo, ter um jogo a menos, portanto, com um aproveitamento melhor (62,82% a 60,49%).

Também no último final de semana, o Galo fez 2 a 0 no Coritiba, no Mineirão, e o Flamengo empatou por 0 a 0 com o Fortaleza, no Castelão.

Segundo os cálculos da UFMG, apenas os gaúchos Grêmio (2%) e Internacional (1,4%) aparecem na lista de chances de título com mais de 1%.

O Palmeiras, que é sexto colocado e tem 0,80% de probabilidades de levantar a taça, abre a longa relação de clubes com menos de 1%.

Os 69,1% de aproveitamento que o São Paulo tem neste Brasileirão até agora, projetados para as 38 rodadas, mostram que se conseguir manter o ritmo, o tricolor paulista chegará aos 79 pontos.

Desde o início dos pontos corridos, as projeções são de que marcando dois pontos por jogo, o que representa 66,7% de aproveitamento, se levanta a taça, pois representaria chegar aos 76 pontos.

As classificações desde 2003 provam isso, pois o melhor vice da história foi o Santos, de Jorge Sampaoli, que ano passado teve 64,9% de aproveitamento, chegando aos 74 pontos.

Esta é uma marca que deve garantir o título este ano. Segundo os cálculos da UFMG, quem chegar aos 74 pontos tem 96,4% de chances de levantar a taça da Série A do Campeonato Brasileiro de 2020.

Com 76 pontos, que é a marca considerada segura para o título, as chances de um clube ser campeão sobem para 99,2%.

São Paulo e Atlético disputam ainda 11 jogos, 33 pontos. O Flamengo tem uma partida a mais para disputar.

No caso do Atlético, o time só volta a jogar no dia 11 de janeiro, segunda-feira que vem, diante do Bragantino, em Bragança Paulista.

Álvaro Vilaça é formado em Comunicação Social e Marketing, apresentador de TV, ex-narrador e ex-repórter esportivo da Rádio Inconfidência de Belo Horizonte, Diretor de Programação e Coordenador de Esportes da Rádio Eldorado e do Jornal Hoje Cidade. Também é o responsável pela coluna de Esportes do Jornal Notícia e é professor de Negociação, Compras e Marketing das Faculdades Promove de Sete Lagoas. Pós-Graduado em Administração e Marketing.





Publicidade

Links patrocinados

 
O SeteLagoas.com.br utiliza cookies e outras tecnologias para melhorar a sua experiência!