Menu

STF aprova tese que responsabiliza imprensa por fala de entrevistado; entenda

O Supremo Tribunal Federal (STF) aprovou, nesta quarta-feira (29), uma tese que permite a responsabilização de veículos de comunicação por declarações feitas por entrevistados em reportagens jornalísticas.

Foto: Reprodução/Getty ImagesFoto: Reprodução/Getty Images

Veja a tese aprovada na íntegra:

  1. “A plena proteção constitucional à liberdade de imprensa é consagrada pelo binômio liberdade com responsabilidade, vedada qualquer espécie de censura prévia, admitindo a possibilidade posterior de análise e responsabilização, inclusive com remoção de conteúdo, por informações comprovadamente injuriosas, difamantes, caluniosas, mentirosas, e em relação a eventuais danos materiais e morais, pois os direitos à honra, intimidade, vida privada e à própria imagem formam a proteção constitucional à dignidade da pessoa humana, salvaguardando um espaço íntimo intransponível por intromissões ilícitas externas."
  2. "Na hipótese de publicação de entrevista em que o entrevistado imputa falsamente prática de crime a terceiro, a empresa jornalística somente poderá ser responsabilizada civilmente se: (1) à época da divulgação, havia indícios concretos da falsidade da imputação; e (2) o veículo deixou de observar o dever de cuidado na verificação da veracidade dos fatos e na divulgação da existência de tais indícios”.

A tese foi proposta pelo ministro Alexandre de Moraes e recebeu apoio unânime dos demais ministros do STF.

Em agosto, os ministros já haviam deliberado sobre a possibilidade de os veículos de comunicação serem responsabilizados pelas declarações de entrevistados. Na ocasião, três correntes foram formadas, com propostas de tese diferentes. A tese aprovada agora combina elementos das propostas de Edson Fachin, Alexandre de Moraes e Roberto Barroso.

Edson Fachin propõe que a indenização por dano moral só seria devida se a empresa jornalística reproduzisse unilateralmente uma acusação sem buscar a verdade objetiva ou oferecer direito de resposta.

Alexandre de Moraes defendeu a liberdade de imprensa sem censura prévia, permitindo a análise posterior e responsabilização por informações prejudiciais comprovadas.

Já Roberto Barroso argumenta que a responsabilidade do veículo ocorre se, na época da publicação, existissem indícios concretos da falsidade da informação e se o veículo não observou o dever de cuidado na verificação dos fatos.

Reações das organizações jornalísticas:

Representantes de organizações jornalísticas manifestaram opiniões divergentes sobre a decisão. A presidente da Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), Samira de Castro, considerou a tese "minimamente condizente" com as preocupações de preservação da liberdade de imprensa.

Por outro lado, a presidente da Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji), Katia Brembatti, destacou motivos para comemorar e lamentar, ressaltando a necessidade de esclarecimentos sobre termos como "indícios de falsidade". Ela enfatizou a articulação das organizações de imprensa com o STF e a importância de continuar dialogando para entender melhor a decisão.

Da redação 

Fonte: CNN e UOL

Clique e siga as redes sociais do SeteLagoas.com.br para ficar bem informado: InstagramTwitterThreadsYouTubeTikTok e Facebook

Receba as notícias do SeteLagoas.com.br via Whatsapp AQUI

 



Publicidade

+ Política

Governo Lula põe sob sigilo lista de servidores que ocuparam 57 quartos de hotel de luxo em Londres

Governo Lula põe sob sigilo lista de servidores que ocuparam 57 quartos de hotel de luxo em Londres

O governo liderado por Luiz Inácio Lula da Silva optou por manter em segredo, pelos próximos cinco anos, a relação dos i...

Defensoria Pública da União (DPU) pede para Musk pagar multa de R$ 1 bilhão

Defensoria Pública da União (DPU) pede para Musk pagar multa de R$ 1 bilhão

A Defensoria Pública da União (DPU) solicitou à Justiça Federal da 1ª Região (TRF-1) nesta sexta-feira, 19, que Elon Mus...

STF começa hoje a decidir sobre suspensão do WhatsApp em meio à polêmica com X

STF começa hoje a decidir sobre suspensão do WhatsApp em meio à polêmica com X

O assunto aborda a possibilidade de interrupção de aplicativos de mensagens, como o WhatsApp, por não cumprimento de ord...

PT tem receio de que Lira coloque em pauta o impeachment de Lula 

PT tem receio de que Lira coloque em pauta o impeachment de Lula 

Depois de um aumento na tensão, membros do PT mencionam duas razões para temer que Arthur Lira coloque em pauta o impeac...

STF derruba mandado de segurança que mantinha Juninho como prefeito de Inhaúma

STF derruba mandado de segurança que mantinha Juninho como prefeito de Inhaúma

Em decisão monocrática proferida nessa quarta-feira (17) pelo presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) Luís Roberto ...

Ministério Público arquiva denúncias contra o vereador Caio Valace

Ministério Público arquiva denúncias contra o vereador Caio Valace

Na última terça-feira (16), o presidente da Câmara de Sete Lagoas Caio Valace (PDT) fez pronunciamento onde dizia que, f...

Parlamento Jovem de Sete Lagoas visita a Assembleia Legislativa estadual

Parlamento Jovem de Sete Lagoas visita a Assembleia Legislativa estadual

O Parlamento Jovem (PJ), programa da Câmara Municipal de Sete Lagoas que propõe a iniciação política na vida de estudant...

Jornais de esquerda concordam que "Censura promovida por Moraes tem que acabar"

Jornais de esquerda concordam que "Censura promovida por Moraes tem que acabar"

Os jornais tradicionais paulistas Folha de S.Paulo e O Estado de S.Paulo publicaram editoriais neste final de semana cri...

Ministro da CGU renegocia acordos de leniência com Odebrecht enquanto seu escritório faz defesa da empreiteira

Ministro da CGU renegocia acordos de leniência com Odebrecht enquanto seu escritório faz defesa da empreiteira

O ministro da Controladoria-Geral da União (CGU), Vinícius Marques de Carvalho, está renegociando acordos de leniência c...

 5 a 2: Moro é absolvido das acusações de abuso de poder econômico pelo TRE-PR e evita a cassação

5 a 2: Moro é absolvido das acusações de abuso de poder econômico pelo TRE-PR e evita a cassação

O Tribunal Regional Eleitoral do Paraná (TRE-PR) absolveu, nesta terça-feira (9), o senador Sergio Moro (União Brasil) d...

O SeteLagoas.com.br utiliza cookies e outras tecnologias para melhorar a sua experiência!
Termos