Menu

Vereadores de Sete Lagoas iniciam trabalho em sessões Ordinárias com número expressivo de proposições

Foi com grande volume de trabalho que os vereadores iniciaram as Reuniões Ordinárias da legislatura, nesta terça-feira (02), sob a presidência de Pr. Alcides (PP). Propostas e Anteprojetos de Lei (APL) para diversas áreas e bairros da cidade foram apresentados pelos parlamentares e começaram a tramitar no Legislativo.

Foto: Divulgação/InternetFoto: Divulgação/Internet

Nessa primeira sessão Ordinária do ano entre Requerimentos (1.476), Pedidos de Providências (1.853), Moções (uma) e Indicações (sete) foram protocolados, no total, 3.337 matérias. Para se ter uma ideia do trabalho colhido e transformado em demandas apresentadas, na primeira Reunião Ordinária da última legislatura foram protocoladas 458 matérias, número quase 750% inferior ao deste ano.

Na pauta de votações, o Projeto de Lei Complementar (PLC) 4/2021, de autoria do Chefe do Executivo, foi votado e aprovado. O texto passou com uma emenda modificativa e os votos contrários de Janderson Avelar (MDB), Carol Canabrava (Avante), Marli de Luquinha (MDB), Heloísa Frois (Cidadania), Junior Sousa (MDB) e Ivson (Cidadania).

Durante os trabalhos foram apresentados os blocos partidários. Gilson Liboreiro (SD) lidera o bloco composto por Roney do Aproximar (PSL), João Evangelista (PSDB), Sílvia Regina (PSC) e José de Deus (REP). Ivan Luiz (Patri) foi indicado como liderança de Pr. Alcides (PP), Ismael Soares (PSD), Caio Valace (Pode), Eraldo da Saúde (Patri) e Rodrigo Braga (PV). E Junior Sousa foi indicado como líder do grupo que tem Carol Canabrava (Avante), Helosa Frois e Ivson Gomes do (Cidadania) e Janderson Avelar e Marli de Luquinha do MDB.

Depois de formados, os blocos se organizam e vão indicar, até a próxima semana, os membros das Comissões Permanentes da Câmara para o próximo biênio. Na comunicação pessoal foram abordados temas diversos pelos vereadores, acompanhe.

Caio Valace (Podemos): Protocolamos um projeto de muita importância. Lei 11.738 de julho de 2008 garante aos profissionais do magistério um piso salarial. Até hoje a categoria do magistério não foi comtemplada.

Carol Canabrava (Avante): Estou muito feliz, iniciamos de fato nossa legislatura. Sou a primeira e única a abrir mão da verba de gabinete de R$ 8,5 mil. Comunico que não utilizarei o veículo que é oferecido ao parlamentar. Aumentamos em 100% a representatividade da mulher, unidas buscando pautas para valorizar as mulheres. Meu primeiro projeto é para as mulheres, espero o apoio de todos.

Ivan Luiz (Patri): O homem que negocia dignidade perde identidade. Não fazemos gestão do dinheiro público. Uma transparência a mais. Farei uso do carro em razão da bandeira que exerço, a prevenção de álcool e outras drogas. Devemos fiscalizar e precisamos estar em vários lugares e por quê não no veículo da Casa? Entendo que o uso racional e consciente do veículo é bem-vindo. Tem resolução e planilha que norteiam o uso.

Janderson Avelar (MDB): Assim como Ivan, farei uso do carro. Vamos tentar implantar o sistema como na Cemig que aponta todas as coordenadas do carro durante o trajeto. E vamos apresentar o projeto que trata do prontuário eletrônico. É essencial para o bom funcionamento de um consultório médico.

Ivson (Cidadania): Não espere nada extraordinário, quero cumprir as obrigações de um vereador que é fiscalizar e legislar. Pegar as demandas e levar ao Executivo. Meu gabinete está de portas abertas, assim como minha equipe.

Junior Sousa (MDB): Agradecer toda a população que confiou o voto em mim. Agradecer a população que me abraçou, aos vereadores que se colocaram à disposição para conversar e construir políticas que possam alcançar a sociedade como um todo. Participei da resolução sobre a utilização do veículo e abri mão do uso.

Gilson Liboreiro (SD): Desejar boas-vindas para os novos vereadores e tenho certeza que vamos fazer uma agenda positiva para a cidade. Parabenizar o Marcos Rocha que jogou aqui e foi campeão da Libertadores e é de uma família genuinamente sete-lagoana. Celebrar a negociação com a Vale para reparar os danos causados com o desastre de Brumadinho. É o grande start que teremos para a saúde com parte do recurso destinado para concluir o Hospital Regional.

Rodrigo Braga (PV): Fiquei muito feliz com essa quantidade de mulher, ainda não é o suficiente. Desejo um ano maravilhoso nessa primeira Reunião. De 2017 em diante também abri mão da verba indenizatória. Estou fazendo um trabalho muito próximo aos secretários neste ano.

Roney do Aproximar (PSL): Estou acompanhando as obras do Executivo que estão em andamento e as requeridas pelos parlamentares. Quero demonstrar meu apoio à Guarda Municipal. Farei uso do veículo para o meu gabinete pelo bem público. Assim como usamos internet e a estrutura da Câmara vamos usar para prestar um bom trabalho. Executivo utiliza os carros para prestar serviços.

Ismael Soares (PSC): Nós somos um só em prol de Sete Lagoas. Para mim nunca existiu a questão de base ou oposição. Todos nós queremos fazer a diferença, fazer o melhor. Preciso do carro e será muito bem usado pela minha assessoria com total transparência.

João Evangelista (PSDB): Grande presente para a cidade seria a continuação das obras e conclusão do Hospital Regional. Vários problemas e cirurgias paradas pela questão da Covid. O recurso da Vale será de bom grado para a demanda da saúde.

Sílvia Regina (PSC): Estou aqui para somar e contem comigo sempre. Ivan, faço minhas as suas palavras sobre o uso do veículo. Sempre atendi meus eleitores em casa, foi lá que falei que ia atender. Tenho meu carro, mas preciso do carro para que minha assessoria possa atender, não posso estar em todos os lugares ao mesmo tempo. Se temos o carro para trabalhar é para o povo.

Heloisa Frois (Cidadania): Venho da iniciativa privada onde somos levados a fazer contingenciamento de recursos e quero justificar minha escolha de não utilizar o veículo cedido pela Câmara. Órgãos públicos não produzem dinheiro, por esse motivo não quero fazer gasto desse recurso público. De acordo com a média salarial da cidade não vejo justificativa para suar, acredito na racionalização do recurso.

Marli de Luquinha (MDB): Quero desejar boa sorte, sucesso e que nosso objetivo seja trabalhar pela cidade. Usei o carro com ética e nunca fui questionada. Não vejo motivo para não usar. É uma ferramenta que se faz necessária no meu dia a dia de trabalho pela cidade.

José de Deus (REP): Sobre o carro como muitos falaram, vou fazer uso. Saí daqui outro dia e fui ao itapuã de ônibus, não tenho carro. Então, não posso ver a demanda de muita gente de ônibus.

Com Secretaria Especial de Comunicação | TV Câmara





Publicidade

Links patrocinados