Menu

Suspeito de aplicar golpe em mulheres em aplicativos de paquera é preso

A Polícia Civil divulgou nesta terça-feira (2) os detalhes da investigação que levou à prisão de um suspeito de enganar mulheres que conhecia em aplicativos de relacionamentos para conseguir dinheiro e carros. Conhecido como “golpe do Don Juan”, a suspeita é que o crime tenha feito vítimas em várias regiões do país.

Foto: G1Foto: G1

“Ele agia cooptando essas vítimas em aplicativos de relacionamento, marcava encontros pessoais e envolvia numa trama que as convencia a entregar veículos, fazer transferências bancárias, em proveito de terceiros inclusive, e para poder viver às custas dessas práticas que ele ostentava”, disse o delegado Clayton Ricardo da Silva.

Em Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, a investigação começou depois que uma mulher procurou a polícia porque o suspeito, com quem estava se relacionando, havia sumido com o carro dela.

O veículo foi localizado em Ribeirão das Neves, também na Grande BH. Segundo o delegado, o homem havia vendido o veículo a uma terceira pessoa, que não sabia do golpe. O comprador havia dado seu carro como parte do pagamento. Na época, os dois veículos foram recuperados, mas o suspeito não foi localizado.

Durante as apurações, um carro de luxo que era usado pelo suspeito também foi apreendido. De acordo com Silva, o veículo era clonando.

O homem, de 22 anos, foi preso em Balneário Camboriú, em Santa Catarina. Ele foi abordado por policiais por estar em atitude suspeita e, depois de ser levado para delegacia, foi verificado que havia um mandado de prisão em aberto contra ele em Minas Gerais. Segundo o delegado, ele também era considerado foragido por causa de uma condenação no estado da Paraíba.

O suspeito ostentava uma vida de luxo. “Ele aparentava ter uma boa condição de vida pela aparência pessoal, pelo ciclo de relacionamentos. Ele afirmava que vivia na Região da Pampulha, numa casa que ele dizia ser sua, mas, no curso das investigações, descobrimos que era uma república em que ele locava um dos quartos”, afirmou.

De acordo com a polícia, o suspeito tem uma extensa ficha criminal. Só em Minas, são cerca de 20 ocorrências, envolvendo crimes como estelionato e violência doméstica.

O suspeito segue detido em Santa Catarina, mas deve ser transferido para um presídio mineiro em breve, informou o delegado.

Com Portal G1





Publicidade

Links patrocinados