Menu

Projetos da Semad levam água ao semi-árido de Minas Gerais

  • Categoria: Minas
  • A+ A A-
A Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad) assegurou recursos de cerca de R$ 20 milhões, até 2009, para financiar projetos de melhoria da qualidade e quantidade da água nos municípios mineiros atingidos pela seca. O recurso foi disponibilizado por meio do Fundo de Recuperação, Proteção e Desenvolvimento Sustentável das Bacias Hidrográficas do Estado de Minas Gerais (Fhidro), que tem como presidente do grupo coordenador o secretário de Estado de Meio Ambiente, José Carlos Carvalho.

Um dos projetos com recursos assegurados pelo Fhidro é o “Cisternas Rurais: Alternativas para Ampliação do Acesso à Água no Norte e Jequitinhonha”, de autoria da ONG Cáritas Brasileira – Regional Minas Gerais. Serão destinados R$ 4,8 milhões para a construção de duas mil cisternas em 31 municípios para captação de água de chuva. O montante também será utilizado para capacitação de 2.600 famílias para o gerenciamento adequado dos recursos hídricos, incentivando a adoção de práticas sustentáveis.

Outro projeto contemplado é o “Sistema de Informações de Convivência com a Seca: Gerenciamento de Recursos Hídricos de pequenas comunidades de municípios afetados pela estiagem nos Vales do Jequitinhonha, Mucuri e Norte de Minas Gerais”, do Instituto de Desenvolvimento do Norte e Nordeste de Minas (Idene). O objetivo geral do projeto é identificar a situação física, social e econômica da região e, a partir dessas informações, construir um banco de dados para subsidiar projetos com vistas a soluções de problemas relativos à seca. Quaisquer órgãos públicos, privados e instituições da sociedade civil poderão acessar as informações obtidas online. O projeto abrange 92 municípios, totalizando 2.029 comunidades rurais, e serão investidos R$ 5,1 milhões.

José Carlos Carvalho destacou que os sistemas tradicionais de abastecimento de água não conseguem atingir as comunidades dispersas no interior do semi-árido mineiro, especialmente aquelas com população inferior a 200 habitantes. “Os projetos contemplados pelo Fhidro irão preencher essa lacuna. Com aplicação de tecnologias de baixo custo, estamos começando a enfrentar um problema secular”, afirmou.

O terceiro ato assinado por Carvalho foi uma deliberação do Grupo Coordenador do Fhidro que destina R$ 10 milhões anuais, de 2008 a 2017, ao Comitê Gestor de Convivência com a Seca, grupo formado por várias secretarias e outros órgãos do Estado, com a função de propor e executar medidas para combater os efeitos da estiagem. O recurso ficará disponível para financiar projetos provenientes do Comitê.


Publicidade

Links patrocinados MGID