Menu

Homem que morreu em incêndio na Santa Casa em BH mandou áudio dizendo que não queria morrer

"Visitei meu pai no dia do incêndio. Ele estava se recuperando bem e só queria ir para casa", diz o vendedor Rafael Fernando, de 24 anos. Ele é filho de Cezar Freitas de Jesus, de 51 anos — uma das vítimas do incêndio que ocorreu na Santa Casa, na última segunda-feira.

Emoção marca enterro de vítima da Santa Casa — Foto: VideoPress ProdutoraEmoção marca enterro de vítima da Santa Casa — Foto: VideoPress Produtora

Cézar chegou a mandar um áudio para o filho, que só foi escutado depois de seu falecimento, já que o paciente desligou a internet do celular.

"De noite, ele chegou até a mandar um áudio na hora do incêndio, desesperado, falando que não queria morrer daquela forma. Ele não chegou a ligar a internet do celular, por isso o áudio não chegou a mim. Quando fiquei sabendo que o hospital havia pegado fogo, desloquei para lá. às 3h20 soube do falecimento do meu pai.

Rafael completa que conseguiu desbloquear o aparelho e escutar o pai. "A enfermeira me entregou o celular dele, eu desbloqueei. estava na minha conversa. Eu liguei a internet e o áudio chegou. Ele estava chorando bastante, desesperado mesmo

O corpo de Cezar Freitas de Jesus foi velado e sepultado, nesta quarta-feira (28), no cemitério Bosque da Esperança, no bairro Jaqueline, na região Norte de Belo Horizonte.

A emoção tomou conta de parentes e amigos que se reuniram para se despedirem de Cezar. Ele era dono de uma loja de móveis na capital, mas se preparava para se aposentar e cutir a vida após ter criado seus três filhos ( de 24, 30 e 32 anos).

"Meu pai estava desacelerando na vida e queria aproveitar para viajar e passear com a minha mãe, quando aconteceu essa fatalidade", disse um dos filhos da vítima, Rafael Fernando, de 24 anos.

Internação na Santa Casa

Cezar foi internado devido a uma infecção na perna associado a uma pneumonia. Horas antes do incêndio, Rafael chegou a visitar o pai no dia da tragédia. Na conversa com a reportagem, Rafael informou que o pai foi muito bem tratado pelos profissionais da Santa Casa.

"Meu pai só trabalhou a vida toda. Agora, ele estava na fase de curtir, gostava muito de ficar no sítio, na fazendinha que ele tinha, cuidando dos bichos. Passear bastante. A melhor fase da vida dele, eu diria e ocorreu essa fatalidade.

Número de mortos no incêndio

A Santa Casa de Belo Horizonte reafirma que dois pacientes morreram em decorrência do incêndio ocorrido na unidade de saúde na noite dessa segunda-feira (27). A dúvida quanto ao número exato de falecidos ocorreu, pois a Polícia Civil informou que, na verdade, três corpos foram encaminhados ao Instituto Médico Legal (IML).

O diretor Jurídico, Governança e Planejamento do Grupo Santa Casa BH, João Costa Aguiar, informou que antes do incêndio um outro paciente havia falecido e que o corpo já tinha sido liberado para os familiares. No entanto, por conta do ocorrido, a corporação optou por levá-ao IML.

“A decisão é da Polícia Civil, que é a titular do inquérito, de recolher este corpo e levar para o IML para submeter a avaliação técnica e até de algum outro que tenha ocorrido, mas que não tenha nenhuma vinculação. O que a Polícia Civil decidir, a Santa Casa vai estar à disposição”, informou.

Com O Tempo



Publicidade

Links patrocinados MGID