Menu

PM atira em carro com babá e duas crianças durante buscas após ataque em Itajubá

Ao sair no início da manhã desta quinta-feira (23) para levar duas crianças de 11 e 6 anos para a escola, uma babá de Santa Rita do Sapucaí, no Sul de Minas, não esperava que o caminho diário por uma estrada de terra, em meio à neblina, terminaria de forma assustadora. O carro onde a mulher estava acabou sendo baleado por policiais militares que tentavam encontrar criminosos que invadiram Itajubá no fim da noite de quarta (22).

Foto: Reprodução InternetFoto: Reprodução Internet

O erro policial foi denunciado pelo site de notícia local Pouso Alegre Net, que teve acesso a vídeos gravados pelo pai das crianças e pela menina de 11 anos, instantes após o carro ser atingido por homens da Polícia Militar (PM).

"O carro vinha daquela direção, não tinha cones. Os policiais estavam escondidos atrás de um caminhão e, na hora que o carro chegou nessa altura, eles atiraram de lá. Não fizeram sinal para parar nem nada, só atiraram sem perguntar nada", disse o pai das crianças nas imagens.

O tiro disparado acabou acertando a coluna lateral o carro, próximo da altura da cabeça da babá, que acabou sofrendo ferimentos causados pelos estilhaços do vidro do veículo.

Procurada pela reportagem de O TEMPO, a assessoria de imprensa da PM confirmou o ocorrido, por nota. A corporação alegou que, por volta das 6h, durante cerco e bloqueio na região de Itajubá, "os militares deram ordem de parada a uma caminhonete, que não acatou, sendo então realizado um disparo de arma de fogo, que atingiu o veículo".

"A PMMG esclarece, ainda, que não houve feridos e que foi lavrado um Boletim de Ocorrência sobre fato para apuração posterior por parte do comando da unidade", finalizou a polícia.

Entenda o ataque

O ataque a uma agência da Caixa Econômica Federal na noite dessa quarta-feira (22) em Itajubá, no Sul de Minas, deixou ao menos cinco feridos e já tem uma pessoa presa pela polícia. O tenente-coronel Flávio Santiago, chefe da Sala de Imprensa da Polícia Militar, disse que um homem de 33 anos foi preso na madrugada suspeito de envolvimento com o grupo.

De acordo com Flávio Santiago, o suspeito detido fazia o trabalho de batedor do bando criminoso. "Esse preso vai facilitar o trabalho da polícia investigatória e da nossa corporação também para fazer com que ache onde estão os demais. Não dá pra gente fomentar agora qual o nível de participação, a resposta está sendo dada. O preso é importante nesse momento para trazer esse novelo até a gente conseguir identificar todos. Temos carros abandonados na troca de tiro. A varredura vai ser completa, não descansaremos enquanto não pegar essas pessoas", disse Santiago.

A polícia segue em operação de cerco e bloqueio na região.

Cinco feridos

Horas após ataque de um bando contra uma agência da Caixa Econômica Federal, com armamento de guerra, a Polícia Militar (PM) informou que há, pelo menos, cinco feridos na ação. São quatro policiais e um morador da cidade. Segundo o tenente-coronel Flávio Santiago, chefe da Sala de Imprensa da PM, dois policiais estão em estado mais grave de saúde, mas não correm risco de morrer. O tiroteiro ocorreu por volta de 23h30 dessa quarta-feira (23).

Um dos militares está com uma fratura na perna, enquanto outro foi atingido por um disparo de fuzil no braço. Esse último passa por cirurgia. O tenente-coronel pontuou que a munição de fuzil é capaz de transfixar pessoas, obstáculos e barreiras.

Segundo ele, foram utilizados fuzis .50, .556 e 762, armas utilizadas em guerras. "Nossos policiais estão preparados, conseguiremos êxito ao longo do dia", disse. Ao programa Bom dia Minas, da TV Globo, Santiago disse que a PM revidou, com segurança, em pontos específicos que acreditam que os criminosos estão homiziados na zona rural.

Já o morador ferido transitava pelas ruas quando o bando tomou o carro dele e o deixou ferido, ele foi internado, mas já foi liberado.

Ataque a caminhão do Corpo de Bombeiros

No início do assalto a uma agência bancária em Itajubá, os criminosos roubaram um carro que era usado por um motorista de aplicativo e atearam fogo no veículo em frente ao batalhão do Corpo de Bombeiros, na Vila Poddis. O batalhão dos bombeiros fica ao lado da sede da Polícia Militar da cidade.

De acordo com militares ouvidos pela reportagem, o incêndio iniciou por volta das 23h30, quando o grupo armado também atirou pelo menos duas vezes contra um caminhão usado para combater incêndios no município e região.

Nenhum bombeiro ficou ferido. Após o grupo sair, o fogo foi controlado pela guarnição, que não atendeu outras demandas relacionadas ao assalto na cidade.

Zema elogia PMMG

O governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo), se pronunciou na manhã desta quinta-feira (23) sobre o assalto a uma agência da Caixa Econômica que ocorreu na noite dessa quarta-feira (22) em Itajubá, no Sul de Minas. "Criminosos aqui não terão vez", disse o chefe do governo.

Segundo Zema, a polícia agiu "mais uma vez com valentia em Itajubá". "A ação criminosa deixou quatro PMs feridos, que não correm risco de vida. Um bandido já está preso e a tropa de elite da PMMG segue na captura do restante quadrilha", tuitou.

Estudante da Unifei fica ferido

O único civil ferido na troca de tiros entre criminosos e policiais na noite dessa quarta-feira (22) durante o assalto em Itajubá, no Sul de Minas, é um estudante universitário que voltava da aula e passava pelo local do assalto.

Segundo a major Layla Brunnela, o carro em que ele estava foi alvejado pelos tiros e ele foi atingido na perna esquerda de raspão. O quadro de saúde dele é estável, ele foi internado e já recebeu alta.

Ainda de acordo com a major, que é a porta-voz da Polícia Militar, há quatro policiais feridos. Um deles passa por cirurgia após levar um tiro de fuzil no braço. Outro militar também foi atingido por munição de fuzil que transfixou o ombro esquerdo, mas não passou por cirurgia. Nenhum dos feridos corre risco de morte.

Da Redação com OTempo



Publicidade

Links patrocinados MGID