Menu

Homem se arma de faca, agride mulher, avança em militares, é baleado e morre

Um homem de 38 anos foi baleado após tentar atacar policiais militares que acompanhavam uma ocorrência de violência doméstica contra ele no Bairro Engenho Nogueira, na Região da Pampulha. Segundo familiares, ele morreu.

Foto: IlustrativaFoto: Ilustrativa

O caso foi nessa terça-feira (19/10). De acordo com o boletim de ocorrência, os militares foram recebidos pela ex-companheira dele. Ela foi até a entrada do imóvel para conversar com os policiais. Eles ouviram a vítima e o suspeito. Ao final da abordagem, o homem correu para o interior da casa e voltou a agredir a mulher com socos.

O agressor, então, foi para a cozinha e pegou uma faca. Ele saiu correndo com a arma branca na mão e tentou esfaqueá-la. Em seguida, o suspeito avançou contra os militares que estavam na sala.

Um dos policiais efetuou quatro tiros em direção ao homem, que caiu no chão. Ele foi socorrido e levado para a Unidade de Pronto Atendimento Santa Terezinha.

A ocorrência foi encerrada com a condução do homem à UPA. No entanto, nesta manhã, parentes disseram à equipe da TV Alterosa que ele foi atingido na cabeça e morreu.

A reportagem da Alterosa entrou em contato com a Polícia Militar sobre o caso, veja a nota:

" Em resposta à demanda apresentada pela emissora Alterosa, o 34° BPM informa que após acionada, a guarnição policial deslocou até o bairro Engenho Nogueira e, diante da constatação da ocorrência de violência doméstica no local, os militares fizeram a intervenção no intuito de preservar a vida da vítima do sexo feminino, das pessoas que se encontravam no imóvel e dos próprios militares, uma vez que o indivíduo agrediu a ex-companheira com um soco e ainda atingiu a criança que estava em seu colo. Posteriormente, o autor se armou com uma faca e, objetivando atingir de maneira deliberada os presentes no local, após esgotadas as tentativas de verbalização e contenção, no intuito de repelir a injusta agressão do autor, foram efetuados disparos de arma de fogo em legítima defesa. O autor foi devidamente socorrido, ainda com vida, até a UPA Santa Terezinha. A mulher, vítima de violência doméstica, teve sua vida preservada devido a atuação dos policiais militares no local."

Da Redação com Estado de Minas




Publicidade

Links patrocinados MGID