Menu

Diretor do Shopping Oiapoque é acusado de assédio por funcionárias

“Ele vive cantando a gente. Eu me sentia impotente, né? Eu cheguei a declarar o fato para o RH. Na época eu declarei também para meu gerente geral. Me diziam que pouco podiam fazer pelo autor ser um dos donos do shopping Oiapoque”, disse uma mulher que denuncia assédio. Ela falou que vem sofrendo por cinco anos.

Foto: Reprodução/TV GloboFoto: Reprodução/TV Globo

Nesta segunda-feira (20), ela resolveu procurar a polícia. A mulher alegou que durante todo o tempo em que trabalhava no Shopping Oiapoque, no centro da capital, Luiz Arthur Brandão sempre a assediava.

Na sexta-feira (17), ele levou a vítima para um local dentro da empresa em que não há câmeras e tentou tocar nas partes íntimas dela.

A Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher abriu um inquérito para apurar as denúncias. Segundo as vítimas, pelo menos 10 funcionárias foram assediadas pelo diretor comercial do Shopping Oiapoque.

Uma outra ex-funcionária disse que era cercada pelo empresário nos corredores do shopping e que ele pedia fotos dela nua.

“Com todas as moças que trabalhavam comigo aconteceu o mesmo. Chegou a um ponto que o Luiz Arthur pedia para alguma moça descer para fazer um serviço para ele, Ninguém do setor queria descer só para não ser humilhada com as palavras chulas, com o jeito dele”, disse.

Outra mulher, que também foi da equipe do Shopping Oiapoque, contou que trabalhava aflita, evitando encontrar com o diretor porque já não aguentava ser pressionada.

“Ele faz isso na frente de qualquer pessoa. Eu me sentia constrangida e ficava na minha porque eu precisava do meu emprego. Eu era a única que trabalhava aqui em casa e eu precisava de trabalhar ali. Sempre fugia dele o máximo”, contou.

O Shopping Oiapoque alegou que tinha conhecimento de apenas uma denúncia, que, segundo a direção, foi uma retaliação porque a funcionária foi demitida por justa causa por assédio a dois colaboradores.

Sobre as outras denúncias, disse que os fatos estão sendo apurados e que as devidas providências legais serão tomadas. O diretor comercial, Luiz Arthur Brandão, negou ter assediado as funcionárias.

Com Portal G1





Publicidade

Links patrocinados