Menu

Homem que matou criança após atropelar mãe e filha vai a júri popular em BH

O homem de 56 anos, que atropelou mãe e filha em 2014, no bairro Alto Vera Cruz, na Região Leste de Belo Horizonte, vai a júri popular pelos crimes de homicídio e tentativa de homicídio e por dirigir sem habilitação. No acidente, Kamylla Francielly Barroso de Andrade, de 5 anos, morreu.

Carro que atropelou mãe e filha em Belo Horizonte — Foto: Reprodução/TV GloboCarro que atropelou mãe e filha em Belo Horizonte — Foto: Reprodução/TV Globo

Segundo a tia da menina, a mãe teria tentado salvar a filha, mas não conseguiu. Antes de acertar as duas na Rua Padre Café, o carro bateu em outros veículos.

“Ele [motorista], segundo as informações de populares, vinha em alta velocidade, bateu em uma parede primeiro, depois bateu em uma motocicleta, perdeu o para-choque, bateu em uma Kombi e virou na direção do passeio, onde atingiu as duas vítimas”, disse o tenente da Polícia Militar, Cláudio José Virgílio, que atendeu a ocorrência na época.

De acordo com o militar, a criança ficou completamente prensada pelo veículo, sofrendo esmagamento de crânio. A mulher foi socorrida com fraturas para o Hospital de Pronto-Socorro João XXIII, passou por cirurgia e recebeu alta.

A sentença do julgamento por júri popular foi definida pelo juiz, Marcelo Rodrigues Fioravante, em maio de 2020, quando os prazos para réus soltos ainda estavam suspensos por causa da pandemia de Covid-19, e foi publicada no dia 14 de outubro.

Segundo a denúncia do Ministério Público (MP), no dia 16 de novembro de 2014, o homem recebeu o veículo para fazer a limpeza dele e, sem a permissão do dono, utilizou o carro.

Ainda segundo o MP, por volta das 15h30, sob o efeito de bebida alcoólica e velocidade superior ao permitido, causou o acidente. O próprio denunciado, no interrogatório, admitiu não ter habilitação e ter bebido duas cervejas cerca de uma hora antes de dirigir o veículo.

Após o acidente, o homem tentou fugir, mas foi contido por populares. Para o MP, o acusado assumiu o risco de causar a morte.

O Júri ainda não tem data para ser realizado.

Com G1

 




Publicidade

Links patrocinados