Menu

Ronaldo e Cruzeiro SAF: Fenômeno explica investimento no clube em coletiva

O dono de 90% da Sociedade Anônima do Futebol (SAF) Cruzeiro, Ronaldo Fenômeno, deu as caras após se recuperar da Covid-19 em meio ao turbilhão que o clube viveu na última semana após a divulgação da carta de despedida do goleiro Fábio.

Foto: Reprodução Redes SociaisFoto: Reprodução Redes Sociais

Numa entrevista remota realizada na manhã desta terça-feira (11), o jogador falou sobre o assunto e também sobre outras questões que tem tirado o sono do torcedor do Cruzeiro.

Goleiro Fábio

“O Fábio foi e vai ser sempre um ídolo para o Cruzeiro e para a torcida cruzeirense. Nós, diante do cenário atual, fizemos um esforço muito grande para oferecer uma proposta decente a ele, respeitando sua história no clube, trajetória. E infelizmente, durante a negociação, houve uma negativa por parte dele, que também nos pegou de surpresa”, declarou.

“Todo esforço que a gente podia ter feito para o Fábio, e oferecer a ele um período para poder se despedir da torcida, da casa que foi sua durante muitos anos, foi feito. É uma pena que não chegamos a um acordo, mas temos que seguir adiante. O Cruzeiro é maior que qualquer atleta, qualquer nome que você possa imaginar. O Cruzeiro tem que ser sempre o protagonista”.

"Temos que virar a página e seguir adiante. Os desafios do clube são gigantes, a dívida que encontramos. A cada dia que abrimos uma gaveta encontramos uma surpresa negativa”, concluiu.

Cláusula de rompimento da compra

"Tecnicamente sim (pode desistir do acordo), no contrato há essa saída, mas está longe da minha cabeça, do meu pensamento desistir do projeto", cravou.

"No momento estamos no processo de análise do clube, entender o tamanho do buraco, da dívida, entender os credores, tem muita coisa por entender, mas meu desejo é continuar e ficar aqui até fazer com que o clube volte a ser grande como era antes", completou.

Dívidas e atual cenário

“Encontramos um cenário trágico no clube, temos que estancar o sangramento, cuidar. Diria que o Cruzeiro é um paciente em estado grave, na UTI (Unidade de Terapia Intensiva). E estamos oferecendo o tratamento necessário para que saia o mais rápido possível dessa condição”, disse.

“Infelizmente hoje está bem complicado (situação do Cruzeiro), com receitas de até nos próximos dois anos já antecipadas, e já gastas. Estamos em processo de análise, descobrindo todas as gavetas do clube para entender a real situação”, explica.

“A situação é muito dura, difícil. Acho que vamos precisar de um longo período, de no mínimo um ano ou dois anos, para encontrar um certo equilíbrio no clube. Mas estou muito animado, sou entusiasta de que podemos fazer um time competitivo para buscar os resultados desportivos que esperamos para esse ano” concluiu.

Transfer ban

"São 140 milhões para 2022 e 2023. Acho que de imediato, para ainda no fim do mês de janeiro, a gente tem uma obrigatoriedade de pagar R$ 23 milhões. E durante esse ano e o próximo, alcança esse valor total de R$ 140 milhões de transfer ban", explicou o investidor.

"Essa é uma dívida que dificilmente poderá ser negociada, mas a gente vai tentar negociar. (Vamos tentar) entender um pouco das outras dívidas também, e enfim, nosso compromisso é de cumprir com todas as dívidas que nos correspondem", resumiu.

Futuro

"Estamos criando um novo padrão de gestão no clube, e o mais importante, a maior ajuda que podemos dar é criar esse novo padrão, eficiente, sustentável, essa é principal mensagem que posso deixar ao nosso torcedor. Não gastaremos nenhum centavo a mais do que arrecadarmos, vou cumprir com os meus compromissos contratuais de acordo com a aquisição da SAF. (Sobre toda a dívida com transfer ban) Portanto, quando tiver algum cronograma em relação a isso vamos voltar a falar e deixar isso mais claro", complementou.

Com O Tempo



Publicidade

Links patrocinados MGID