Menu

Paciente segura porta de ambulância com corda durante transporte no MT

Um paciente recém saído de um centro cirúrgico em Aripuanã, no Mato Grosso, gravou um vídeo mostrando o momento em que era transferido em uma ambulância municipal com situação precária. É possível ver o veículo com a porta quebrada e muito sujo.

Foto: Reprodução/Redes SociaisFoto: Reprodução/Redes Sociais

"Olha a situação da ambulância. Tem que amarrar com corda [a porta], e o paciente fica segurando aqui", criticou o homem. Na sequência, ele mostra que toda a parte interna do veículo está coberta de poeira, e questiona o comportamento da prefeitura.

"Na hora que precisa de voto, vai na casa da gente, mas na hora que precisa deles, cadê eles?", afirma.

Em nota, a prefeitura de Aripuanã afirmou ter tomado conhecimento do caso, e que os setores responsáveis já tomam medidas cabíveis. Explicou ainda que a porta sofreu "certo desgaste", mas que isso não atrapalhou o fechamento dela. Especialistas ouvidos pelo município pontuaram que o baú dessas ambulâncias "não é fabricado para suportar a realidade logística da região e sim para vias pavimentadas".

Leia o comunicado do executivo municipal:

"A Prefeitura de Aripuanã, por meio da SEMUSA - Secretaria Municipal de Saúde, esclarece para toda população que já tomou conhecimento do incidente envolvendo a porta da ambulância que fazia o transporte de um paciente de Cuiabá para Aripuanã.

De acordo com o Secretário Municipal de Saúde, Aloiso Fernando Muncinelli, o problema já foi encaminhado para os setores responsáveis para que as devidas providências sejam tomadas.

Um levantamento inicial apontou que o baú da ambulância, citado no vídeo do morador, é fabricado em fibra e teve certo desgaste durante o período que fez serviços de transporte de pacientes, que ainda somam cerca de 73 mil quilômetros.

A porta não só ESTÁ fechando, como também ESTAVA fechando durante o transporte do morador. Mas devido às condições logísticas do trajeto, a porta, feita em fibra, trabalhou e acabou se deslocando.

Tendo conhecimento do incidente, a SEMUSA encaminhou o veículo para um especialista automotivo.

Clodoaldo Martins, da empresa BIG CAR, explicou que o baú dessas ambulâncias não é fabricado para suportar a realidade logística da região e sim para vias pavimentadas. Portanto, o ideal é fazer algumas adaptações para que o veículo se adapte à realidade local.

Para garantir que esse tipo de incidente não volte a acontecer, a SEMUSA já encaminhou o veículo para que seja feita a implantação de um sistema de travamento nas portas traseiras da ambulância. A medida também será aplicada nas demais ambulâncias do município.

Em nome da Prefeitura de Aripuanã, a SEMUSA pede desculpas pelo incidente e reforça que não medirá esforços para solucionar esta situação."

Com Itatiaia



Publicidade

Links patrocinados MGID